Sonhador…

NÃO SOU POETA, SOMENTE CONSIDERO IMPORTANTE QUE ESCREVAMOS O QUE TEMOS DENTRO DE NÓS OU QUE OBSERVAMOS NA VIDA E NAS PESSOAS, INDEPENDENTE DO JULGAMENTO DA QUALIDADE; NOSSOS PENSAMENTOS E OBERVAÇÕES NÃO PODEM SIMPLESMENTE MORRER CONOSCO

28/11/08

SENTIMENTO PRESO NA ALMA

Quero exalar o amar
Não depende só de meus desejos
Sinto sua força em meu peito
Quero me deixar ser levado
Por este prazer inconfundível
Com sorrisos e lágrimas mil
O amor arrebata a alma
Rouba-nos para a felicidade
Não por estar alguém presente
Mesmo na ausência do receptor
Não vem tão de repente
Existe na consciência
Às vezes não queremos aceitar
Ele existe, mesmo sem admitir
Mesmo sem concordar
Sei que ele existe em mim
Porém reluto em não aceitar

Milve (10/03/98)

criado por Milve Codinhoto    20:27:23 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

12/11/08

AFAGO

Calaste diante minhas ignorâncias.
Enxugaste minhas lágrimas quando se deparou com minhas fraquezas
Acolheste-me em teu colo quando me percebeu carente
Beijaste meu rosto e afagaste minha testa quando necessitei consolo
Olhaste ternamente para mim quando me viu aflito
Sorriu e transmitiu seu orgulho diante meus louros
Envaideceu-me em minha beleza, desprezando a imperfeição
Incentivaste-me quando meus ânimos perderam força
Albergaste com teu manto de amor o frio de minha insegurança
À distância, me protegeu com teus pensamentos
Transmitiu-me o prazer de tua presença, quando estive só e desconsolado
Amargaste sua dor para não gerar insegurança
Censuraste com meiguice para não ruborizar-me ou inflamar minha ira
Perdoaste-me sempre, sem cobrança e sem se recordar da ultima vez
Acreditaste em mim quando contestaram minhas verdades
Escutaste minhas verdades sem questionar e sem pairar dúvidas
Amaste meus jeitos e toleraste meus infortúnios
Tiveste meus filhos como se de vosso ventre fossem tirados
Cuidou de mim como a eterna criança que necessita amparo
Você mãe, é o meu cabedal moral e ensinamento do aprender a amar
Cumprido sua missão, partiste deixando-me só a encontrar o amor que ensinaste

Milve (08/11/08)

"O sentimento da palavra amor é universal, o que altera é o destino a que ele é aplicado"

criado por Milve Codinhoto    20:53:25 — Arquivado em: O HOMEM E A ALMA, POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

5/11/08

Acorde comigo

Não repudie o que tenho na alma
Tomas o que é áureo em mim
É teu, máxime para ti o que sinto
Busque em mim o que queres encontrar
Sentimento latente, preparado para aflorar
Tire tudo que esta contido, guardei para você
Deixe meu momento se encontrar com os teu
Não fuja do meu prazer em te querer e sentir
Acredite no inusitado, prazer em ser amado
Alimente meu desejo, querer te sentir
Sinta o que sinto, para poder asseverar
o que buscas e almejas do amor

Milve (27/10/08)

criado por Milve Codinhoto    20:49:20 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

3/11/08

AMAR O AMOR

O encanto que encanta
É o que canto
Canto do meu canto
Notas, do meu pranto

O encanto que canto
Som magistral do sentimento
Pautas, do meu encontro
Lauda, de quem ama o amor

Notas, que afloram da alma
Inspiração sentida, no peito calada
Prazer do encontro com teu encontro
Meu canto em harmonia com teu canto

Milve (27/09/08)

criado por Milve Codinhoto    19:35:48 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

31/10/08

Quero ser

Quero ser
A areia onde tu brônzeas e a água que te refresca
O deslizar pelo teu corpo entre tuas mãos que acaricia
O lençol que te aconchega e o perfume que aprecias

Quero ser
Teus sonhos e momentos de prazer
Teu agasalho e conforto dos dias frios
A brisa e o ar que te faz bem

Quero ser
A leveza do tecido que abranda teu calor
O ápice de tua emoção, o bálsamo que acalma
A palavra que te conforta e revitaliza

Quero ser
O lenço que destrói tuas lágrimas
Seus segundos de momentos impensados
Suas horas de descanso e reflexão

Quero ser 
Seus dias de trabalho e alegria
Teus anos a viver e sua esperança de felicidade
Quero ser a vida para em tua vida viver.

Milve 20/10/08

criado por Milve Codinhoto    18:56:23 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

29/10/08

Sem título e sem nexo

A dor que crava o peito
É a mesma que sangra a alma
Sentimento bom, com lágrimas amargas
Cicatriz mantida em segredo na lembrança
Ferimento que se abre para novo encontro 
Apertar no coração que não se afrouxa
Busca incessante de encontrar a felicidade
Travar confronto entre gostar e amar
Calor que não se dissipa, desejo escondido
Herói ou mártir da circunstância
Desertor ou fugitivo do desconhecido
Encontro que amedronta e dilacera
Incômodo que reclama e lateja solidão
Sentimento de amor que reclama amor
Prazer e esperança que não encontra abrigo
Simples sonhar em não temer o amor
Querer do querer, ou não querer
Incógnita que alivia a alma
Destruir solidão sem perder privacidade
Fuga do que já não se acredita
Preferir sonhar que a viver
Reclamar, sem tomar atitude
Descobrir egoísmo intrínsco
Dar-se sem se entregar
Amar com medo do amor
Sonhar só, sem responsabilidade
Criticar solidão, mantendo-se só
Ser feliz, sem necessidade de dividir
Não ter certeza do que é melhor
Eu com Ele, ou Eu e Ele.

Milve 28/10/08

criado por Milve Codinhoto    20:10:43 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

25/10/08

Quem és Tu?

Quem és Tu?
Deusa dos meus sentimentos,
energia que mexe com minha alma.

Quem és Tu?
Com quem me encontro nos meus pensamentos,
por quem suspiro com a beleza da afinidade.

Quem é Tu?
Alma da minha alma.
Converter-te-ei em meu segredo.

Quem és Tu?
Que reluz no canto mais profundo do meu eu,
que me faz feliz só por saber que você existe.

Como ousar invadir,
o que tenho de mais verdadeiro,
meus pensamentos

Porque aguças,
o que tento dominar, para facilmente não entregar, 
a beleza do meu amor.

Apresente-se a mim,
não se esconda em seu mundo interior,
sem tempo para se aproximar.

Seja o suspiro dos meus sonhos.

¨O amor que encanta a alma, tem que se apaixonar pelos olhos.¨

Milve 24/10/08

criado por Milve Codinhoto    15:25:08 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

27/9/08

FELICIDADE

Por ser gostoso te sentir
Será impossível não te desejar
Eternamente te ter e e te querer 
Sem me incomodar ser tua sombra

Por ser gostoso te querer
Fico feliz por lhe ter sempre em mim
Sensação gostosa e indescritível
Você se funde em meus sentimentos

Sou grato por você existir
Não só por te querer
Nem tão pouco por te desejar
Mas pelo bem que representas

Sou grato por você existir
Pela oportunidade de te conhecer
Ter-te só para mim, seria egoísmo
Você pertence à família, aos amigos e a vida

Quero te sentir e desejar sempre
Do meu jeito, do seu jeito, sem sufoco
Sempre temos que dominar o sentimento
Quando perdemos o controle, estressa e magoa

Você faz parte de mim
Mesmo distante dos olhos
Mesmo sem poder ouvir tua voz
Sempre te viverei em meus pensamentos

Que bom ter te encontrado
Você dá significado à minha vida
Encontrar-te, foi esclarecer uma das razões para viver
Sentir simplesmente por sentir, sem explicação
Sabia que você existia! Já a conhecia em minha alma

Vou só te amar, sem nada pedir
Vou só ser feliz,
Por te ter em mim, por te desejar e por te querer
Vou sempre te respirar e respeitar; amiga felicidade

Milve (Nov/99)
 

criado por Milve Codinhoto    13:56:01 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

25/9/08

DESENCONTROS

A adolescência é maravilhosa.
Foi num momento belo que e encontrei uma linda flor
tanto quanto eu, ela com seu caule frágil,
fiquei feliz e a levei ao coração,
plantei-a em um canteiro especial.
Certo dia, senti uma dor estranha
talvez porque eu não soube cuidar,

ou por ainda não conhecer a espécie
Talvez, pela inocência de jardineiro iniciante!
Quem sabe ela estranhou a mudança de local!
Talvez tenha estranhado meu modo de cuidar.
Ou quem sabe! O clima não era apropriado,
enfim, ela murchou, escondendo seu visual,
deixando de me banhar com seu perfume.
Eu, inconsciente, a deixei adormecida.
Continuei a cuidar de meu jardim.
Mesmo sem saber por que,
sempre que ia observar e fazer a poda ,
olhava aquele cantinho especial,
ela sempre mantinha seu caule esverdeado,
o qual não destruí, mantendo a esperança de nova vida,
Eu a observava, porém pouco fazia,
todas as vezes que visualizava o jardim,
era o primeiro local a admirar.
Lá estava ela, serena, passiva e adormecida,
sem presença para me chamar atenção.
Certo dia, quase como encanto,
amanheceu maravilhosa e cheia de vida,
fiquei feliz e me emocionei,
mas infelizmente,
não podia dedicar-me intensamente a ela,
no jardim haviam outras flores,
algumas plantas exigiam minha atenção.
Quem sabe, sentindo meu descuido,
ou talvez por tanto tempo no anonimato,
estava frágil para suportar mudança brusca.
Outra vez, ela se esfacelou, e eu,
continuei a vida como sempre foi,
mantive seu canteiro reservado.
Agora já não mais existia o caule,
somente resistia a vida através de sua raiz.
Quando olhava para aquele cantinho especial,
nada via, mas sentia que ela estava ali.
Assim, se foram passando anos,
quando repentinamente, ela ressurgiu,
encontrando-me machucado.
Voltamos a nos vermos, mesmo esfacelados.
Outra vez, como se por encanto,
lá estava minha flor tentando se fortalecer,
logo corri para acudi-la e acelerar sua recuperação .
Falhei outra vez!
Quem sabe por minhas dores ou excesso de adubo,
para o qual ela não estava preparada.
Quem sabe exagerei na água,
ou até mesmo, quem sabe,
ela estava querendo se fortalecer em outro canteiro,
enfim, voltamos rápido ao estagio anterior;
ela viva, mas escondida,
e eu, só quando havia tempo
a observava calado mas sem esperança.
Hoje, por muitas vezes sinto sua falta,
mas me convenci;
aquele cantinho que reservei,
sempre estará disponível para ela,
mesmo eu cuidando das demais flores,
sempre a estarei sentindo ou imaginando,
ela sempre existira em meu peito.
Não sei se devo ter esperança,
outra vez vê-la viçosa.
O final desta estória,
é que aquela mesma dor estranha,
que no início tocou meu sentimento,
volta ser presente em mim;
Ora adormecida, ora latente,
sinto que assim sempre será nosso destino,
jamais terei certeza, se ela conseguiria
mesmo que por instantes,
deixar que eu sinta seu inesquecível perfume,
e esquecendo os momentos tristes do passado,
transmitir-me um pouco de sua vontade de me pertencer.
Ela sempre se sentirá insegura,
se ao se desabrochar, terá seu cantinho reservado.
Seguro mesmo, é acreditar,
que embora sendo um jeito estranho de se admirar,
entre nós, não pode existir algo diferente,
só se explica com a palavra ¨sentimento¨;
que a vida, ou nós, até mesmo o destino,
insiste em não nos deixar vive-lo.

Milve (Abr/98)

criado por Milve Codinhoto    19:05:30 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS

14/9/08

SONOLÊNCIA OU REALIDADE…

As ondas dançavam no balé das águas, calmamente, por vezes levantavam suas cristas, como se para me observar, murmuravam sons e lançavam espumas em minha direção, pareciam quererem se aproximar e me tirar do sono; deitado e distante, relaxadamente estirado na rede, eu quase sonhava, acreditando ser realidade o ar com cheiro de mar e vida.
A brisa deslizando-se suavemente sobre minha pele, parecia me acariciar querendo que eu acordasse. De repente! Som de uma sinfonia distante, talvez gorjear de pássaros perdidos na noite; despertei-me, me mantive sonolento, virei-me na rede e observei, não enxergava lucidamente; distante alguém com olhar devagante, sentada sobre uma rocha, observava a tudo, pose sensual e meiga, transmitia desejo e paz, não me contive; levantei, mas me mantive sonolento, me aproximei, mesmo sem ter sido notado, momento este, que tirei-lhe parte do mundo observador, esforçava-me para que me percebesse, sentia que se tratava-se de um encanto que me dominava, e eu deixava, pouco era minha resistência, era muito gostoso, sensação transcendente ao humano, minha alma se encheu de sentimento forte, “amor”, acreditei, eu a observava carinhosamente e me entregava, sentei-me ao seu lado, me alimentei de sua fantasia.
Sofria por não me notar como eu a via.
Senti a sua energia; renasci; percebi o amor.
Sentimentos poucas vezes observado ou sentido foram me preenchendo, eu me deixando levar sem resistência; passou a sorrir levemente olhando em minha direção, percebeu as vibrações profundas que eu lançava, me olhava com carinho, porém distante
Aproximei-me ainda mais, senti o calor de sua pele, por momentos flutuei, o mundo se transformou para mim, tudo estava entre o sono, sonho e realidade
Suspirei com forte emoção, relaxei minhas emoções, ela me comoveu, me acariciou mesmo se mantendo distante, passei a querer entrar em seu coração, quis descobrir seu mundo e dele fazer parte, mesmo inseguro, insistia; mesmo sem controle da situação, abandonei valores, acreditei, sonhei com a felicidade.
Encontrava-me ainda no delírio que imaginava poder ser real, quando de repente, conservando sua doçura, se atira ao mar brandamente, sem que eu tivesse força par impedir; dizendo as únicas palavras dirigidas especialmente a mim, “adeus, fiquei feliz com sua presença, tenho que ir”
Estranho é que continuei me sentindo feliz, a felicidade não se foi, apenas se misturou com a tristeza deixada já no instante de sua partida, deixou ilusões e energias que eu havia perdido; agora sigo mais forte e cauteloso, mais consciente para separar o mundo real da fantasia, um sono que trouxe de volta a realidade, quase sonho. Adeus sereia, delírio do que eu quis sonhar e acreditar.

Milve  (dez/99)

criado por Milve Codinhoto    12:33:03 — Arquivado em: POEMAS / POESIAS E SENTIMENTOS
Posts mais antigos »
Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://milvec.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.